BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Sobre Vômitos e o Existencialismo!





Engraçado como as coisas acontecem ! O ser humano tem uma capacidade incrível de armazenar conteúdos e relacioná-los. Eu posso associar, dissociar, compor, desmembrar. A ciência diz que usamos 10% da nossa capacidade intelectual. Bom, imagino que eles querem dizer que isto é o que potencialmente podemos utilizar. Tipo a grana que a gente tem no banco : cada um tem gasta como bem lhe aprouver. Mas parece que neste quesito este bicho que anda sobre duas pernas anda cada dia mais econômico. Hoje vou republicar um texto que escrevi em Outubro de 2006, o título é "Sobre vômitos e o existencialismo" :

Nossa, agora que tenho este espaço fica mais fácil ainda perceber como o tempo corre célere (como dizia Machado de Assis). Neste post a inspiração é um fato bastante corriqueiro mas que permite uma análise mais profunda de como o ser humano se comporta de maneira equivocada às vezes.
Voltava eu do trabalho, ansioso como sempre, em um dos pontos entra uma mulher loira, alta e magra, cheia de sacolas de shopping center, transparecendo muita segurança. Cinco ou seis pontos a frente ela começa a passar mal, ato contínuo ela começa a vomitar, mas com vontade, detonou com o ônibus, em minutos ela era outra, make up borrado, escova desalinhada, segurança perdida.
Durante todo o fim do trajeto aquela cena me fez pensar em como a gente atribui importância às coisas fúteis em detrimento do que realmente importa: a arte, o conhecimento do ser humano, a capacidade de se relacionar pacificamente com o outro. Me deixou ,sim, um pouco cético em relação ao futuro da humanidade, pensar que os valores andam invertidos demais, a gente anda com os olhos bem fechados pra o curso das coisas. Indiferentes ao que importa, vulneráveis ao superficial. A questão é: qual meu papel neste mundo, vasto mundo?


14 comentários:

Dr. Fácil disse...

O nosso papel é ser estranho também, como todo mundo é um pouco. Acho que só assim que podemos ver algo diferente. Quem sabe até encontremos o sentido pra isso. Assim espero...

Tatiana disse...

Olá! Obrigada por passar pelo meu blog e pelo elogio. Valeu mesmo!
fiquei imagianndo a cena da mulher toda borrada e vomitada. O engraçado é q vc vomitou mesmo a cena, mal deu tempo de a gente visualizar a mulher e já veio um monte de coisas pesadas para se pensar. Ah, eu não sei qual é meu papel nesse mundo e ultimamente anda muito difícil descobrir.
Hehehe
Gostei da intertextualidade com o Drummond..
Gostei do blog!
Bjos
www.tatilazz.zip.net
www.mulheresdeathenas.blogspot.com

KAKA disse...

ei cara estranho...somos somente seres humanos, dar-nos uma aparência segura é um engano, quão frágeis somos, digo isso me referindo por ex qdo cuidava de pacientes em hospitais, por mais dinheiro que possuiam, nada os fazia de diferentes, nem mesmo nossa atenção, eram somente pessoas, frágeis e sempre inspirando ou desejando cuidados!!mas...ainda me pergunto: qual meu papel neste mundo, vasto mundo? pergunta que não ala, resposta que não sinto!!bjim aquele abraço com carinho e obrigado pelas visitas, meu mundo anda cada dia menos particular, contudo estou cada dia me rendendo à beleza da simplicidade, da simplicidade das coisas mais dífíceis, daquilo que me recusava a ver!

Adri - Dri - Drika disse...

Oi Wagner valores andam invertidos, mesmo, o que vale são apenas as aparências... que bom que voce tem a consciência que o mundo não é só de aparências... tmb nao entendo o meu nem o seu papel nessa sociedade caotica, mas acredito que tudo um dia fara sentido... voce escreve muito bm parabéns, voltarei mais vezes e obrigada pela visita ;)

Professor Sergio disse...

Olá Wagner...vc mudou o end. e tit. do blog? o seu post é interessantíssimo e tem muito a ver com a realidade. Uma hora o ser é "tudo" e outra hora "nada". Temos que saber viver, humildemente, sem excessos. Abraço amigo!

Srtª Amora disse...

É a questão de se achar totalmente evoluído e acima de qualquer outra criação... estamos invertendo os valores e aplaudindo de pé todas as desgraças que ocorrem, é comum viver de aparência e bem mais fácil que se mostrar frágil. De qualquer forma, estamos aqui testando a eternidade que escolhermos.

Priii! disse...

eh mesmo um papel vasto do qual
ao certo nunca saberiamos imaginar
nem pensar o pra que da existencia

pedrofreirefilho disse...

Passando pra deixar um grande abraço. Feliz carnaval!

Mateus disse...

Cara, passando pra agradecer a visita no "Inferninho", o comentário feito e as indicações de filmes.
Quanto ao seu questionamento, prefiro não ter muita certeza ou tantas outras quanto a real função da vida ou, pelo menos, de minha vida aqui, porque esta se faz muito mais de espontaneidade que de qualquer outra coisa, caso contrário não seria "viver". Em compensação, cabe a ressalva de que as pessoas deveriam amar mais, né? Não apenas dizer que amam, mas sentir o amor, que é super-importante. Acho que tá faltando um pouquinho de consciência a respeito disso em muitas gentes; aliás, a falta desta, provalvelmente, implique solidão e angústia, que a muitos invade.
Abraço!
Inté!

pedrofreirefilho disse...

Passando pra desejar um carnaval de paz pra você e toda a família.

jobofevi disse...

Obrigado pela visita o seu blog é maravilhoso vou colocá-lo nos links. Volto depois para comentar. Bom dia.

jobofevi disse...

Tenho algo no meu blog para você ler. Espero que me compreenda. Seu blog é ótimo e você é muito inteligente. Voltarei.

jobofevi disse...

Espero que esteja se divertindo no carnaval. Um grande abraço. Vlotarei meu querido amigo.

pedrofreirefilho disse...

Passadas as festividades de momo, estamos de volta à realidade. Boa quarta-feira pra você.