BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, 31 de outubro de 2010

Sobre Rousseau, Guy Débord e Alfred Hitchcock





aaaaaaO post de hoje será apenas uma breve indicação de algo que refleti vendo "Janela Indiscreta" [Rear Window] de Alfred Hitchcock. Produzido em 1954, este longa-metragem, protagonizado pelo (lindhão do) James Stewart e pela sofisticadíssima Grace Kelly (época em que as atrizes não eram apenas rostos bonitos, mas possuíam talento) traz à tona uma possibilidade muito peculiar de observar o homem tanto no recorte público quanto no domínio privado. Jeff, um fotógrafo afastado do cargo, passa horas a fio como um flanneur; observa, de um ângulo deveras privilegiado, toda sorte de atividades e comportamento dos seus vizinhos. Até que em uma destas janelas algo de muito suspeito e insólito acontece (afinal estamos falando de ninguém menos que Hitchcock). Não quero fazer o party-pooper e contar o final do filme, porque sempre achei isso uma #putafaltadesacanagem, sobretudo quando se trata de um suspense, mais ainda quando estamos falando de um cineasta do caralho, como é o Hitchcock.

aaaaaaPois bem, "Janela indiscreta" me lembrou Rousseau devido à passagem do estado de natureza para o estado de cultura (ou de civilização), que pode ser irresponsavelmente resumido com a introdução da razão. Para o filósofo, viver em sociedade foi o começo do fim para o homem, porquanto o homem recém-civilizado não se contenta mais com os recursos que estavam ao alcance de sua mão no estado de natureza, a inteligência desestabiliza o equilíbrio que predominava neste homem primitivo e que doravante torna-se um indivíduo que se compara o tempo todo, que quer possuir o que o seu par não possui.

aaaaaaGuy Débord me ocorreu pelo seu conceito de "espetáculo" forjado na obra "La Societé du Spectacle". Grosso modo, a sociedade do espetáculo é o meio no qual estamos, circulamos e vivemos, alienados, evidentemente. Essa alienação subverte a ordem original e faz a aparência travestir-se de essência. Como um pensador marxista, Guy Débord não relega sua discussão para um plano metafísico, pelo contrário, articula mercado, capital, produção e modo de produção para ilustrar como a condição humana na contemporaneidade é violentada e mutilada basicamente por uma abstração chamada capital, ou mais popularmente falando, dinheiro!

Uma coisa eu garanto: Ver Hitchcock pode até não dar esse monte de nó na cabeça do espectador comum, mas que garante uma ótima experiência de ansiedade e imersão, isso está fora de discussão!


11 comentários:

Serginho Tavares disse...

Esse filme é uma ode ao voyeurismo
Adoro

Wanderley Elian Lima disse...

Ol´´aWagner
Tradução da receita
Molho de repolho no alho e óleo rsrsrsr
Tenha uma linda semana
Abração

[JK] disse...

"Janela Indiscreta" é um dos melhores filmes de Hitcock.Ele ´um gênio do suspense, sou grande fã.

Diogo Didier disse...

Interessant indicação Wagner! Nunca vi nada de Hitcock, apesar de ouvir falar muito bem dos seus filmes.

Obrigado pela visita amigo! e uma EXCELENTE semana.

JuJu disse...

Que análise, hein, meu caro!
E "Janela Indiscreta" é um clássico, fato.
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Uncool disse...

Bah, Hitchcock é o cara! Confesso que Rear Window não é o meu favorito, mas há quem goste.

Não vou me atrever a comentar os meandros filosóficos / téoricos, nesse momento meus olhos ardem demais. Culpe a minha faculdade.

Beijos sumido!

Paulo Braccini disse...

Wagner, vc como sempre brilhante em suas contextualizações. Esta sua percepção antropológica em cima da obra de Hit foi perfeita ...

bjux

;-)

Paulo Braccini disse...

ops ... esqueci ... por enquanto, só vc pescou a verdadeira perspectiva de meu post de hoje ... rs

Que venha a SEVERINA e q possamos ser felizes ...

bjux

;-)

S.A.M disse...

Bela dica de filme, bacana ver esse lance de voyeurismo....

Abração!

Ana Paula disse...

Já ouvi falar, mas nunca vi esse filme... Pelo que você relatou, eu não consegui entender muito bem a história, mas parece bom... Hh
Quando eu tiver a chance, irei assistir sem pensar duas vezes. ^^'

;*

TH disse...

Excelente dica, colega "absurdo"
Já te sigo no Twitter!
:)