BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Revolução Industrial: suicídio das crianças inglesas

Pensar a modernidade é algo extremamente paradoxal! O que é o progresso? Avanço tecnológico? Modernidade? Se o que separa o início da revolução industrial do meu I-pod de 120 gramas for um produto do progresso industrial e tecnológico meu bolso está cheio de sangue e toda sorte de miséria humana...Nunca saberia!
No dia primeiro de Maio comemora-se em nível de mundo o dia do trabalho. Mas o que de fato há para se comemorar? Pra que um feriado? Festa? Luto? História?
Eu jamais pensei em ouvir falar que crianças de nove ou onze anos pudessem sofrer de maneira tão brutal a ponto de tirar a própria vida. Que o ser humano tivesse uma potência descomunal para a perversidade eu ainda suspeitava, mas com uma vontade de que fosse apenas um pessimismo exagerado.
Estas crianças inglesas sofreram. Scavengers e Piecers estavam expostos ao perigo iminente, espancadas pelos pais para que sofressem menos com as atrocidades dos patrões, muitas vezes era no suicídio que encontravam alívio: “É bom quando isso acontece, de morrermos antes de crescermos.” Se atirar da janela da fábrica era mais atraente do que a (sub)existência destas pobres criaturas sem respeito, amor...sem nada além da dor e pânico do real...
Bom feriado a todos!

*texto livremente adaptado de “Dedos Ágeis” em http://repositorium.sdum.uminho.pt/dspace/bitstream/1822/715/10/CAPITULO%20II%20-%20DEDOS%20%C3%81GEIS.pdf

20 comentários:

jobofevi disse...

Castro Alves clamava diante da escravidão e da barbarie:" Por que meu Deus por que? Há quem diga que a violencia é o desequilibrio da harmonia natural. Outros dizem que é uma falha na administração do conflito natural. Os primeiros,a hamonia é sustentada por uma ideia de compatibilidade possivel entre o homem e a civilização. Os outros, sustenta-se na ideia de que há sempre um resto na relação do homem com a civilização. Resta sempre algo para o homem desejar. A tese harmônica por sua vez é a tese da nescessidade, contrpõe-se à do desejo. É utilitarista.Boa noite amigo.

André Kaworu disse...

Olá....essas histórias já eram por mim conhecidas, parecem bem irreais, outro mundo e não um passado...que em alguns lugares não passou, infelizmente. abraços e boa semana

Pedro disse...

A crueldade é atroz em todos os tempos. Hoje, arrumamos novas formas de servidão.

Fê_Notável disse...

Olha... eu já nem sei mais... todas as vezes que eu paro pra refletir as consequencias que o progresso trouxe para o mundo e mais, a nome de que veio o progresso... me dói na alma. Quando um aluno me perguntou uma vez, a história do progresso tecnológico e eu tive que responder que os computadores evoluíam conforme vinham as guerras... cara, é mto complicado. às vezes acho que o ser humano nasce já com a vontade de se auto destruír...

maria claudete disse...

é esta a causa dos meus conflitos e piores momentos : a dualidade do ser humano em priorizar am maldade, como creio em um Deus Justo que nos deu livre arbitrio, tento justificar por aí as escolhas humanas. Quando observo os animais e suas crias fico estupefata quando diante das atrocidades cometidas pelos "racionais" em comparação com o instinto protetor dos animais pelas suas crias. Não deve ser fácil ser Filósofo nos dias de hoje... nem antigamente não é?

Diana M. disse...

O que seriamos de nós sem a dose de sangue quente matinal? Somos aquilo que apontamos e apontamos aquilo que não temos coragem de ser. Uma selva de tijolos amarelos onde o que se come foi diariamente tirado de uma boca seca infantil.
Somos a escória da terra que tacamos fogo a cada amanhecer cinzento.

JuJu disse...

Na época em que floresceu a Revolução Industrial, a mentalidade do mundo ainda estava acostumada com os tempos do escravismo. O resultado disso é que o patrão via o proletáriado como escravos mesmo,os relegando à condições sub-humanas e lhes pagando uma mixaria por uma jornada que durava até mais do que um dia inteiro.
...
O pior disso tudo é que, mesmo que os trabalhadores tenham conquistado tantos direitos, essa mentalidade ainda persiste em alguns lugares...
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

solipsista disse...

Parabéns pelo blog, muito bem escrito e pensado...

Quando tiver um tempinho dá uma passada no meu blog!

Um abraço

lucy in the sky disse...

eu gosto do q vc escreve... e hj tava pensndo, vc mudou bem o estilo do teu blog... p q????

beijos, meu querido!
saudades d vc!

solipsista disse...

Obrigada pela visita, gostei de saber que curtiu o bichano :)
Eu estou me formando em Ecologia na Unesp.
Um abraço!

Lucas Andrade disse...

A propósito, quando seria o dia dos blogueiros?

Mateus disse...

Ow, cara! faz mó tempão que naum comento aqui. Geralmente olho teu blog na facul nos intervalos de uma aula e outra. Falta de tempo mesmo. Brigadão pelos parabéns, pelos elogios e tal.
Progresso? Hoje é retornar praticamente às cavernas. Tem-se a ilusão de que se avança, mas o homem, em sua individualidade, está cada dia mais vazio, mais sofrido, triste, desumano...
Abraço Forte!
Tenho de ir!
Aula agora.
Inté!

Anna Oh! disse...

O pior é vc ver que o 1o de maio serve palco de shows, distribuição de pr~emios e nada de reivindicação, nada de indignação. O problema é que os problemas viram festa.
Ahhh, valeu por passar no divã. Eu e uns amigos elegemos nossos heterônimos para discutir o universo feminino e seus problemas cotidianos. A Língua das Mariposas é um filme mto bom... não lembro se é espanhol ou italiano. Vi um dia na faculdade, numa aula "vaga" e me encantei.

Bjssssssssssssss

pedrofreirefilho disse...

Além das atrocidades, nada para comemorar num país que paga 415 de salário ao trabalhador...

Magui disse...

Se todos os infelizes se matassem ia ter um mar de sangue neste mundo.Por isso é pecado e horroriza, é a verdade jogada na cara dos FELIZES.

Paloma disse...

Se crianças recorrera a essa solução, imagina como seria viver naquela época. Acho que nenhum de nós tem como ter nem uma noção de como era isso... É triste, crinaças são crianças.

Carlos Martins disse...

O pior Wagner, é que isso ainda se reflete nos dias de hoje, e é isso que é importante notar, nossa sociedade atual apenas camufla algumas dessas violências. Isso acontece muito na região norte do nosso país assim como em boa parte da região Centro-Oeste. Claro, não com a mesma poética dos inícios de revolução industrial mas talvez, com a mesma brutalidade psicológica. É triste saber que nossas pobres crianças
juntam dinheiro para comprar uma simples bola de futebol feita na china por outras crianças pobres. Não adianta, o progresso existe, e até o momento, ele é movimentado pelo sangue dos que não conseguiram acompanhar essa progressão. Abraços!

Andréa Motta disse...

Passando para lembrar que,em 16 de maio, sexta-feira, teremos COISAS DO BRASIL! Bom final de semana!

Frodo disse...

Wagner, seja qual for a época, sempre haverá mártires infanto-juvenis sacrificados por conta de um sistema impiedoso, que só vê o vil metal à sua frente. Já leu as reportagens sobre o trabalho infantil em nossas usinas de cana-de-açúcar, meninas dos olhos do nosso presidente Lula e do seu intocável programa de bio-combustível? Pois é, ontem, como hoje, lá, como cá, o que conta é sempre o $...
Grd abraço!

Tereza Freire disse...

A Revolução Industrial foi a base desse capitalismo cruel instalado no mundo e a disputa pela liderança desencadeou um processo de auto-destruição humana. Essa liderança que supostamente se consolida nos dias atuais pelo avanço tecnológico. Esqueceram do avanço humano.