BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

E o mundo todo é hostil



John David Roy Atchison foi preso. Ele é acusado de crimes sexuais na internet. John é um promotor federal e foi acusado por viajar para Detroit com a intenção de molestar uma guria de 5 anos de idade. Ele foi declarado morto pelo departamento da prisão federal Milan. Estava sob investigação e cometeu suicídio. De acordo com seu advogado, John era uma ótima pessoa e sempre trabalhou pensando em sua família. Informou ainda que dias antes o acusado tentara se enforcar com um lençol de cama.
Casado e pai de três de filhos, era uma figura respeitada e patrocinava um time de basquete de garotas a poucas quadras do Golfo Brisa. Seu escritório era em Pensacola.
De acordo com as autoridades, John vinha se comunicando com um detetive afastado do Condado de Macomb que se apresenta na internet como a mãe fictícia da criança e facilitava o contato entre ambos.
O acusado foi preso em Setembro de 2007, no Aeroporto de Detroit, carregando presentes, incluindo bonecas e brincos, bem como materiais sexuais. Aparentemente o promotor nunca esteve envolvido com processos por abuso sexual.

Este texto (livremente adaptado e traduzido de
http://www.woodtv.com/global/story.asp?s=7175880) me chamou muito atenção. Principalmente porque dialoga muito intrinsecamente com as idéias existencialistas, que tanto me fascinam, mas também pelo que a opinião pública pronunciou a respeito.
É redundante dizer que a vida humana hoje vale menos que o dólar. A gente se vende por muito pouco, a gente se auto-anula por coisas banais e efêmeras. Pra quê ser único se posso ser igual a todo mundo? Não importa se eu posso morrer numa mesa de cirurgia, o importante é que minha barriga fique sequinha! Aí temos uma equação: vida elevado a um é igual a zero!
Mas a mensagem que pretendo deixar hoje é esta: Se tornar pedófilo não é como virar punk, emo ou skatista! Estas pessoas geralmente passaram por traumas e precisam de auxílio profissional. Ninguém se mata porque quer saber o que há do lado de lá! O suicídio é a fuga de si mesmo e do mundo! O mundo pode ser hostil, conturbado e antitético demais! Quem é o mundo? Eu e você!

Ligações perigosas: fórum sobre o caso :
http://atdetroit.net/forum/messages/91697/115583.html?1191853682

17 comentários:

Pedro disse...

O título já disse tudo!

jobofevi disse...

Muito interessante essa série de atigos sobre um assunto que ainda é tabú. Quando se fala em pedofilia sempre a palavra "monstrosidade" vem atrelada ao fato sem nenhuma reflexão. Continue a sua investigação muito interessante.Uma boa noite amigo.

luma disse...

Vários são os motivos que levam alguém ao suicídio, mas com certeza não é para saber como é do lado de lá.
No caso do promotor, pode ter sido a falta de coragem de encarar os fatos, de olhar para a família e assumir a sua condição. Não dá para viver uma vida dupla por muito tempo. um dia a casa caí.
E como toda a futilidade do mundo, um dia a fantasia, a ilusão torna-se muito real.
Boa semana! Beijus

Mateus disse...

Não acredito que emos, punks e outras tribos precisem de apoio profissional... Por que só eles? Nós também não precisamos? Mas, num quesito concordo: suicídio é covardia; até me lembrei de uma letra de Mombojó:

"Eu preciso sair daqui
Eu preciso parar de mentir
Eu preciso salvar o mundo
Mesmo que eu não ganhe nada com isso, não

Eu vou tentar
Vou tentar
Vou tentar
Mesmo que eu não ganhe nada com isso"

Abraço, meu caro!
Inteh!

Mariana disse...

Eu respeito o suicídio e acho que se é a única forma que a pessoa acha que vai se livrar do que a acomete é assim, que seja.
Cada um que cuide de sua vida, mas não faça das dos outros uma desgraça

Mateus disse...

Olha eu aqui de novo!
Cara, valeu pelo coment lá no "Inferninho" e pelo esclarecimento, super-mega-hiper pertinente.
Detalhe, eu sou meio fresco com português, sabe? E o fato de vc ter usado o pronome "estas" fez com que eu interpretasse o alvo da "ajuda profissional" como sendo algo direcionado a emos, punks ou skatistas.
E, sim, concordo que "pedófilos" sejam de fato assistidos, assim como portadores de transtornos psicológicos alhures.

Abraço!

KAKA disse...

eeeeeeeeeeeee amigo, agora sim, temos um tema, um post onde nosso mundo é todo hostil e sua proposta se refere ao homem como ele é, o bicho acuado, doentio, de vidas duplas, o ser humano que se pune e pede ajuda, mesmo se matando... apesar de que tava mais que na hora dele se matar né não? de certa forma me coloquei no lugar da família deste infeliz, como deve ser saber que seu pai é um doente ou mais, que se casou com um doente?! por vezes tb me pergunto se existe vida inteligente na terra, será que poucos são os iluminados como o senhor a ponto de refletir com dignidade sobre o tema? meu tava demorando pra vc postar o que presta(vc me entende), fora do óbvio, fugir do banal! muito obrigada bjim da KK

jobofevi disse...

Há paises no Oriente que a homosexualidade é crime e punido com a morte. No ocidente o fundamentalismo religioso já considerou doença provocada pelo demonio. A pedofilia, acredito ser uma doença em que o acometido deve ser tratado e acompanhado até um determinado limite. Nos casos em que não há uma melhora deve ser afastado do convivio social como qualquer outro doente que ponha em perigo o próximo. Boa noite Wagner.

KAKA disse...

ei meu bem...nem tinha pensado nisso, mas acho que desde a coletiva passou uma semana, postei mais nestes dias sim, até pq percebi que minha postagem não foi compreendida no seu âmago pelo simples motivo de não acompanharem o blog, pois é... rs mas o contador marcou 141 visitas desde então, lançar nossa semente nessa terra infértil já é alguma coisa né não?! rsr, não consigo fazer como vc, vc posta semanalmente né? é mais coerente, não tenho anotado no caderno de sempre, então me perco nas idéias! Wagner, sempre penso em vc nas postagens, penso que meu leitor alvo é aquele que quer algo mais, não o banal, claro que mesmo que isso seja o mais corriqueiro(saber da nossa vida), sei que não são todos que entendem a forma que escrevo! um beijo com muito carinho querido, se vc quiser pode deletar esse coment, não tenho seu mail.

KAKA disse...

ah vc pode me passar o link desse moço aí de cima? o jobofevi, bem interessante a argumentação dele!

Cin disse...

Seu texto desperta questionamentos e reflexões bem complexas, tenho pensado bastante tbém sobre a hostilidade do mundo...
Gostei da sua forma de se expressar.
beijos!

Tojagal disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Anônimo disse...

A sociedade é má. nós somos a sociedade. eu sou mal. você é má. ele também. a hebe também, ela é má prá porr....

Zulkijora disse...

See HERE

Srtª Amora disse...

há alguns anos participei de um prêmio na faculdade sobre exploração e abuso infantil, abragendo pedofilia. Assim, como qualquer distúrbio, pedofilia é doença. Geralmente pessoas que cometem isso, no passado ou sofreram ou viram casos de abuso... isso gera um trauma, não é via de regra, mas geralmente a pessoa fica com problemas. Aqui não é o lugar, mas vou compartilhar minha experiência, quando eu estava com 7 anos quase fui violentada por um tio. Criei um trauma de homens, até um certo tempo não gostava nem de passar por perto... graças à Deus, hj não tenho mais isso... a saber, não gosto de crianças, melhor, não com interesse subversivo.
Mas isso merece tratamento, afinal umas das coisas mais difíceis de se controlar são os impulsos sexuais.
nada de morte, e pra mim... suícido, embora explique não é justificável. Afinal, todo mundo passa pro problemas... eu já tive depressão a vontade de morrer era enorme, senão fosse Deus e alguns objetivos hj eu não estaria aqui, mas isso em nada ia melhorar... é um ato egoísta, pois quem sofre são os outros.

jobofevi disse...

Kaká terei o maior prazer em visitá-la meu blog é jobofevi.blog.uol.com.br com a devida permisão do amigo Wagner o qual tenho o maior respeito pelo talento que demonstra nos posts.

Eterna disse...

Com toda certeza, o suicída não pensa no amanhã e sim no agora, e agora e agora até não ter tempo nem paciência para o amanhã